Sermão de Mateus 7 – Esboço de Pregação

Esboço de Pregação de Mateus 7. Esse capitulo do Evangelho de Mateus é o ultimo capitulo a narrar o sermão da montanha.

Neste capítulo de Mateus 7, vemos diversos temas sendo relatados por Mateus:

  • 7:1-12 –  Ele tratando sobre julgamentos e sobre discernimento.
  • 7:13-14 – A analogia feita entre ruas estreitas e ruas largas, sendo um aviso sobre a facilidade com que o ser humano pode cair em perdição.
  • 7:15 – Os alertas sobre o julgamento, sendo adicionado um aviso sobre os falsos profetas. Aqui vemos a mesma linguagem usada por João Batista no capitulo de Mateus 3. Em Mateus 7:15 podemos ver a origem da expressão “Lobo em pele de cordeiro”
  • 7:15-20 – Uma base para a doutrina jurídica dos frutos da árvore envenenada, que tem um paralelo no livro de Lucas 6.

Três parábolas aparecem neste capítulo de Mateus 7:

  • (7:1-5): O Cisco e a Trave, com um paralelo em Lucas 6:41-42
  • (7:15-20): A Árvore e seus Frutos, com um paralelo em Lucas 6:43-45
  • (7:24-27): A Casa Edificada na Rocha, com um paralelo em Lucas 6:46-49

Continuação do Sermão da Montanha. O juízo temerário. As coisa santas não deis aos cães. Perseverança na oração. A porta estreita. Os falsos profetas. Devemos ouvir e cumprir as palavras de Jesus.

Esboço de pregação de Mateus 7:1-2

Não julgueis, para que não sejais julgados. Pois com que juízo julgardes, sereis julgados; e com que medida o senhor mede, será medido novamente para você. (Mateus 7:1-2)

Algumas pessoas têm uma disposição censuradora, eles não veem nada nos outros para louvar, mas tudo para culpar, e essas pessoas geralmente acham que são condenadas de acordo com seu próprio domínio ímpio.

Outras pessoas começam a julgar aqueles que gostam tanto de julgar. Se eles são tão sábios e discriminadores, outros esperam mais deles e não o encontrando, eles não demoram a condená-los.

É um velho provérbio que as galinhas voltam para casa, e elas o fazem. Se você julga mal dos outros, esse julgamento, mais cedo ou mais tarde, voltará para você.

Esboço de pregação de Mateus 7:3-5

E por que contemplas o argueiro que está nos olhos de teu irmão, mas não consideras a trave que está nos teus próprios olhos! Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro dos teus olhos; e eis que um raio está nos teus próprios olhos? Hipócrita, lança primeiro a trave do teu próprio olho; e então verás claramente para expulsar o argueiro dos olhos de teu irmão. (Mateus 7:3-5)

No fundo de toda censura existe a hipocrisia. Um homem honesto aplicaria a si mesmo o julgamento que exerce sobre os outros, mas geralmente acontece que aqueles que estão tão ocupados espiando os defeitos de outras pessoas não têm tempo para ver os seus próprios defeitos, e o que é isso, no fundo, senão falta de sinceridade e hipocrisia?

Esboço de pregação de Mateus 7:6

Não deis o que é sagrado para os cães, nem lanceis suas pérolas diante dos porcos, para que não as pisem sob seus pés, e se vire novamente e rasgue você. (Mateus 7:6)

O zelo deve sempre ser temperado pela prudência. Há momentos em que seria uma traição a verdade introduzi-lo como um tópico de conversa, quando os homens estão em tal estado de espírito que eles certamente se interessarão mais por isso do que por acreditar. Não apenas fala bem, mas fala na hora certa, pois o silêncio às vezes é dourado. Veja que você tem a sua medida do silêncio de ouro, bem como do discurso de prata.

Esboço de pregação de Mateus 7:7

Peça, e será dado a você; procurai, e encontrareis; bata, e lhe será aberto: (Mateus 7:7)

Aqui está um incentivo triplo para que oremos. Quando não podemos usar um estilo de oração, vamos usar outro, pois cada um deve ter sucesso no momento certo. “Ó filho de Deus, nada te guarde da oração!”.

Tem sido bem dito que um cristão pode ser protegido, mas ele não pode ser coberto. Sempre há uma passagem para o trono do grande Pai e perguntando, batendo, procurando, ele deve ter certeza de ter sucesso em sua petição.

Esboço de pregação de Mateus 7:8

Pois todo aquele que pede recebe; e quem procura encontra; e àquele que bate será aberto. (Mateus 7:8)

Pergunte ao povo de Deus se não é assim. Vá entre eles e questione-os sobre esse assunto. Eles conhecem o poder da oração, portanto, digam se foram enganados ou não. Bem, então, como tem sido assim com eles, deixe isso encorajá-lo a esperar que seja o mesmo com você também.

Esboço de pregação de Mateus 7:9-12

Ou que homem há entre vós, a quem, se o filho pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou se ele pedir um peixe, ele lhe dará uma serpente? Se, pois, sendo maus, sabeis dar bons presentes a vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está no céu, dará boas coisas aos que lhe pedem.? Portanto, tudo o que quereis que os homens vos façam, faze-os a eles, porque esta é a lei e os profetas. (Mateus 7:9-12)

Existe uma conexão entre essa conduta de nossa parte e as respostas à nossa oração? Sem dúvida, é assim a partir da posição do texto. Se nunca atenderemos aos pedidos daqueles que precisam de nossa ajuda, em que devemos esperar ser ajudados? como podemos ir a Deus com alguma confiança e pedir que ele nos ajude?

Não duvido que muitos homens não tenham recebido resposta à sua oração, porque essa oração saiu de um coração duro e pouco terno, o que não lhe permitiria atender aos pedidos de outros. Ó filho de Deus, faça aos outros o que gostaria que eles fizessem a você e então você pode ir a seu Deus em oração com a confiança de que ele ouvirá e responderá a você!

Esboço de pregação de Mateus 7:13-21

Entrai pela porta estreita: (Mateus 7:13a)

Não tenha vergonha de ser chamado puritano, preciso e particular: Entrai no portão estreito.

Pois largo é o portão, e amplo é o caminho que conduz à destruição. (Mateus 7:13b)

Não escolha assim.

E muitos são os que entram por ali: porque o estreito é o portão, e o caminho estreito que leva à vida, e poucos são os que o encontram. Cuidado com os falsos profetas, que chegam até você em pele de cordeiro, mas interiormente são lobos devoradores. Sabereis pelos seus frutos. Os homens colhem uvas de espinhos ou figos de cardos? Assim também toda árvore boa produz bons frutos; mas uma árvore corrupta produz frutos maus. Uma árvore boa não pode dar frutos maus, nem uma árvore corrupta pode dar frutos bons. Toda árvore que não produz bons frutos é cortada e lançada ao fogo. Conhecê-la-eis, pois, pelos seus frutos. Nem todo aquele que me diz: Senhor, Senhor, entrará no reino dos céus; mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está no céu. (Mateus 7:13c-21)

Isso ainda permanece como a grande prova do verdadeiro herdeiro do céu, a realização da vontade divina. Toda a conversa, pensamento, postura do mundo não salvará um homem. Deve haver nele uma fé que produz santidade.

Esboço de pregação de Mateus 7:22-27

Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos em teu nome? e em teu nome expulsaram demônios? e em teu nome realizou muitas obras maravilhosas? Então eu lhes professarei; nunca te conheci; afasta-te de vós, que praticais a iniquidade. Portanto, quem quer que ouça estas minhas palavras, e as faça, eu o compararei a um homem sábio, que edificou sua casa sobre uma rocha; e a chuva desceu, e as inundações vieram, e os ventos sopraram, e bateram sobre aquela casa; (Mateus 7:22-25a)

Quem você é, e o que você constrói, será tentado. Não importa quão firme seja a rocha embaixo de você, os ventos soprarão e as chuvas cairão sobre o seu prédio. Esteja você em um palácio ou em um casebre, as provas e os testes devem e virão para você: “As inundações vieram e os ventos sopraram e bateram naquela casa.

E não caiu: (Mateus 7:25b)

Existe a misericórdia “não caiu”.

Pois foi fundada sobre uma rocha. E todo aquele que ouvir essas minhas palavras, e não as ouvir, será comparado a um homem tolo, que edificou sua casa sobre a areia. E a chuva desceu, e as inundações vieram, e os ventos sopraram, e bateram sobre ela. casa, (Mateus 7:25c-27a)

Mesmo que você viva para o mundo, ou viva para Satanás, você não viverá sem provação. Os ímpios, que têm sua parte nesta vida, precisam comer algumas ervas amargas e mergulhar seu pedaço de vinagre tanto quanto os crentes. “As inundações vieram, os ventos sopraram e bateram sobre aquela casa.

E caiu: (Mateus 7:27b)

Apenas quando o inquilino mais precisava de abrigo, ele caiu. Ele não precisou tanto disso até as inundações chegarem e os ventos soprarem, mas agora, quando ele se abaixava, se agachava sob a árvore do telhado e ficava em paz com o furacão uivante, então “caía”.

E grande foi a queda disso. (Mateus 7:27c)

A queda foi tão grande porque ele nunca mais pôde construir.

Esboço de pregação de Mateus 7:28-29

E aconteceu que, quando Jesus terminou essas palavras, o povo ficou surpreso com sua doutrina: pois ele os ensinou como quem tem autoridade, e não como os escribas. (Mateus 7:28-29)

Não citando o rabino mais ou menos, para mostrar o quão bem ele conhecia seus escritos, mas falando como alguém que sabia o que tinha a dizer e que falava da plenitude de seu coração, verdade que era evidentemente inspirada, e seus ouvintes sentiram a força da mensagem solene que ele assim transmitiu.

Bibliografia para o esboço de pregação de Mateus 7

  • Fonte e autor: Esboço de pregação de Mateus 7 traduzido e adaptado de uma compilação de sermões de C. H. Spurgeon.
Veja também:
Close