Estudo sobre a parábola do joio e do trigo

A parábola do joio e do trigo foi contada por Jesus num dia em que Ele saiu de casa e se assentou à beira do Mar da Galiléia. Uma grande multidão se reuniu perto dele, e então Ele entrou num barco e a multidão ficou em pé na praia escutando seus ensinamentos.

Essa parábola está registrada em Mateus 13:24-30, e sua explicação em Mateus 13:36-43. É interessante que num estudo ou esboço de pregação sobre a parábola do joio e do trigo o pregador esteja atento ao capítulo 13 inteiro de Mateus, bem como sua ligação com as demais parábolas do mesmo capítulo.

Resumo da parábola do joio e do trigo

Jesus contou uma parábola dizendo que o reino do céu é semelhante a um homem que semeou boas sementes em seu campo. Essas boas sementes é representada pelo trigo. Uma noite, enquanto todos dormiam, veio um inimigo e semeou sementes ruins no meio do trigo. Essas sementes ruins eram sementes de uma erva daninha, e na parábola é chamada de joio (Mateus 13:24,25).

Quando o tempo passou e as plantas cresceram, os empregados do dono do campo perceberam o joio no meio do trigo, e perguntaram ao patrão de onde teria vindo todo aquele joio. O dono do campo respondeu que um inimigo que tinha feito aquilo.

Prontamente os empregados se ofereceram para arrancar o joio de entre o trigo, mas o dono do campo disse que não fizessem aquilo, pois poderiam arrancar também o trigo, mas que deixassem crescer o joio e o trigo juntos até o dia da colheita, quando então ele dará ordem aos seus ceifadores para separar o joio o joio do trigo, amarrando o joio em feixes para ser queimado e levando o trigo para o seu depósito (Mateus 13:26-30).

O significado da parábola do joio e do trigo

O próprio Jesus explicou o significado dessa parábola (Mateus 13:36-43). Ele disse que aquele que semeia a boa semente é o Filho do homem, e, portanto, Ele mesmo. O campo é o mundo, a boa semente são os filhos do reino e o joio são os filhos do maligno. O inimigo que semeou o joio é o diabo, a ceifa é a consumação do século, e os ceifeiros são os anjos.

O grande significado dessa parábola ensina sobre a realidade da existência do mal entre o bem, mas aponta para o fato de que no final o Filho do Homem cuidará, através de seus anjos, de separar os bons dos maus, isto é, os redimidos dos ímpios, os filhos do reino dos filhos do maligno.

Os bons entrarão na bem-aventurança eterna ao lado de Deus, enquanto os maus serão lançados num lugar onde haverá choro e ranger de dentes, isto é, o inferno. É importante se lembrar que apesar de Jesus ter contado esta parábola a uma grande multidão, sua explicação foi dada apenas aos discípulos.

Veja também: estudos e pregações sobre as parábolas de Jesus.

Aplicação da parábola do joio e do trigo

  • Satanás se empenha em falsificar a mensagem do Evangelho, de modo que seus representantes se misturam no meio do verdadeiro povo de Deus.
  • Aqueles que professam o falso evangelho e servem como agentes de satanás se aparecem com trigo, mas na realidade são ervas daninhas.
  • Por mais que o joio que cresça no meio trigo de modo que pareça impossível arrancá-los, essa aparente “união” não será definitiva. Por ocasião do juízo, os filhos de Deus e os filhos do diabo serão permanentemente separados.
Veja também:
Mais sobre:
Close