Sermão do Salmo 12 – Esboço de Pregação

O salmo 12 está se referindo à veracidade de Deus em contraste com a humanidade, dizendo que a elaboração das ações de Deus no salmo reflete as promessas que Deus fez com os israelitas.

Introdução

Este Salmo é intitulado “Para o Músico Chefe em Sheminith, um Salmo de Davi”, cujo título é idêntico ao do sexto Salmo, exceto que Neginoth é aqui omitido. Não temos nada a acrescentar e, portanto, encaminhe o leitor às nossas observações sobre a dedicação dos Salmos 6:1-10.

Como Sheminith significa a oitava, a versão em árabe diz que é referente ao fim do mundo, que será o oitavo dia, e a refere à vinda do Messias: sem aceitar uma interpretação tão fantasiosa, podemos ler esta canção de queixa fé na luz de Sua vinda, que despedaçará o opressor.

O assunto será melhor diante dos olhos da mente se intitularmos este salmo: “BONS PENSAMENTOS EM MAU TEMPO.” Deveria ter sido escrito enquanto Saul estava perseguindo Davi e aqueles que eram a favor de sua causa.

Esboço de pregação do Salmo 12:1

Socorro, Senhor, porque o homem piedoso cessa; porque os fiéis falham entre os filhos dos homens (Salmos 12:1)

O Salmo fala de um tempo muito desencorajador e registra um fato muito sombrio, mas o salmista é sábio e se volta para Deus com essa oração curta e sentenciosa: “Socorro, Senhor”.

Esboço de pregação do Salmo 12:2-3

Todos falam vaidade com o próximo; falam com lábios lisonjeiros e com coração duplo. O SENHOR cortará todos os lábios lisonjeiros e a língua que fala com orgulho (Salmos 12:2-3)

Eles não serão capazes de continuar falando de maneira falsa e orgulhosa por mais tempo. Uma pá de terra da pá do coveiro os silenciará, e uma terrível demonstração da justiça de Deus os deixará sem palavras para sempre.

Esboço de pregação do Salmo 12:4-5

Quem disse: Com a nossa língua prevaleceremos; nossos lábios são nossos: quem é o senhor sobre nós? Pela opressão do pobre, pelo suspiro do necessitado, agora me levantarei, diz o Senhor, que o porei em segurança contra aquele que o influi (Salmos 12:4-5)

Isso é tudo, apenas uma baforada, a maior vanglória dos iníquos, a mais tremenda ameaça contra o povo do Senhor, é afinal uma baforada e Deus colocará seu povo no alto, acima de todos os que os ofendem.

Esboço de pregação do Salmo 12:6-8

As palavras do SENHOR são palavras puras: como a prata provada na fornalha da terra, purificada sete vezes. Emitir-lhes-á um sinal sonoro, ó Senhor, para sempre os preservarás desta geração. Os ímpios andam por todos os lados quando os homens mais vis são exaltados (Salmos 12:6-8)

Agora, vamos ler na profecia de Jeremias, capítulo 8. Lembre-se, queridos irmãos, que Jeremias teve a tarefa muito triste de advertir um povo que não quis dar atenção a suas advertências. Ele profetizou o mal, o mal que começou a vir sobre o povo mesmo enquanto ele profetizou, mas eles não se voltaram para Deus.

Às vezes acho que Jeremias foi o maior de todos os profetas, porque, diante da oposição perpétua, sem qualquer medida de sucesso, ele continuou sendo fiel a Deus e transmitindo a mensagem com a qual foi enviado, chorando por um tempo. Pessoas que não chorariam por si mesmas.

Esta exposição consistia em leituras dos Salmos 12 e Jeremias 8 e Jeremias 9: 1

Fonte e autor: Salmo 12 traduzido e adaptado de The Treasury of David (O Tesouro de Davi), por C. H. Spurgeon.

Veja também:
Close