Sermão do Salmo 2 – Esboço de Pregação

Em nosso estudo chamaremos o sublime Salmo 2 de: O SALMO DO MESSIAS, O PRÍNCIPE; pois ele estabelece, como em uma visão maravilhosa, o tumulto do povo contra o ungido do Senhor, o propósito determinado de Deus de exaltar seu próprio Filho, e o reino final desse Filho sobre todos os seus inimigos. Vamos lê-lo com os olhos da fé, contemplando, o triunfo final de nosso Senhor Jesus Cristo sobre todos os seus inimigos.

Introdução

O Salmo 2 nos traz o estabelecimento de Davi em seu trono, apesar da oposição feita por seus inimigos. Davi sustenta nele um caráter duplo, literal e alegórico.
Se lermos sobre o salmo, primeiro olhando Davi de forma literal, o significado é óbvio e colocado além de toda disputa pela história sagrada.

Leia também: história de Davi.

Mas se olharmos o Salmo em relação a pessoa e as preocupações do Davi espiritual, uma nobre série de eventos surge imediatamente à vista, e o significado se torna mais evidente e mais exaltado.

Perceberemos os dois sentidos muito distintos um do outro, mas conspirando em perfeita harmonia e com uma maravilhosa semelhança em todas as características e lineamentos, enquanto a analogia entre eles é tão exatamente preservada, que pode passar pelo original de onde o outro foi copiado.

Este Salmo 2 será melhor compreendido se for visto como uma figura em quatro partes:

  • (Salmos 2:1-3): as nações estão furiosas;
  • (Salmos 2:4-6): o Senhor no céu zomba deles;
  • (Salmos 2:7-9): o Filho proclama o decreto;
  • (Salmos 2:10-12): conselhos são dados aos reis para que obedeçam aos ungidos do Senhor.

Essa divisão não é apenas sugerida pelo sentido, mas é garantida pela forma poética do Salmo, que naturalmente se enquadra em quatro estrofes de três versos cada.

Esboço de pregação do Salmo 2:1-3

Por que os pagãos se enfurecem e as pessoas imaginam uma coisa vã? Os reis da terra se firmaram, e os governantes se ajuntaram contra o SENHOR e contra o seu ungido, dizendo: Vamos partir em pedaços as suas tropas e afastar de nós os seus cordões. (Salmos 2:1-3)

A conspiração foi forte e influente. Os reis e os governantes se uniram contra Jeová e contra o seu Cristo. Eram muito determinados; Todos se colocaram em propósito resoluto; Tomaram conselho juntos. Estavam cheios de um entusiasmo horrível; Juntos se enfureceram; Acharam o trabalho tão bom quanto feito, mas imaginaram uma coisa vã. A luta foi contra Jeová e contra o seu Ungido, o Cristo, o Messias. O que aconteceu com tudo isso? Eles partiram suas bandas em pedaços e jogaram fora suas cordas?

Esboço de pregação do Salmo 2:4

O que está sentado nos céus põe-se a rir deles: o Senhor os zombará. (Salmo 2:4)

Pois o que os mortais podem ser em comparação com o Senhor Deus que está sentado nos céus? Os homens devem se opor à onipotência do Senhor e com isso esperar que possam prosperar? E quando Deus decide glorificar seu Filho ungido, as minhocas do pó o impedirão de fazê-lo? O que pode vir de toda a sua oposição? Deus simplesmente ri deles, o Senhor os escarnece.

Esboço de pregação do Salmo 2:5

Em sua irá os repreende e em seu furor os aterroriza. (Salmo 2:5)

Deus mal precisa levantar a mão, só precisa falar; e quando Ele fala com ira, suas palavras são raios. O coração dos homens fica realmente perturbado quando as palavras de Deus esquentam de raiva em seus espíritos. Isto é o que Deus disse:

Esboço de pregação do Salmo 2:6

Eu mesmo estabeleci o meu rei em Sião, no meu santo monte. (Salmo 2:6)

Aqui está meu Filho, o rei coroado. O Cristo está no trono, deixe os inimigos de Ísis dizerem o que quiserem, pois ele deve reinar nada pode impedi-lo. Ele deve ser rei dos reis e senhor dos senhores, pois assim está escrito a seu respeito.

Esboço de pregação do Salmo 2:7

Eu declararei o decreto: o Senhor me disse: Tu és meu Filho; Hoje te gerei. (Salmo 2:7)

Este é o selo do Ungido. Ele é o Filho do Altíssimo, o Filho unigênito do Pai, que lhe diz: “Tu és meu Filho; hoje te gerei.

Esboço de pregação do Salmo 2:8

Pede-me, e eu te darei os gentios por tua herança, e as extremidades da terra por tua possessão. (Salmo 2:8)

Cristo está pedindo ao seu Pai; mesmo ele não pode ter o que deseja sem pedir. A oração é tão essencial para o progresso do reino de Cristo que até o próprio Cristo deve pedir. Mas então Deus prometeu dar a Cristo os pagãos por sua herança, e as partes mais remotas da terra como sua possessão. Essa é a grande força de todo empreendimento missionário.

Queridos amigos, podemos ter certeza de que a Terra se encherá do conhecimento do Senhor quando lermos um texto como este: “Eu te darei as nações por sua herança e as partes mais remotas da terra por sua possessão”. Se os homens não cederem ao Senhor quando ele lhes for conhecido, se resistirem aos desenhos do amor divino, o que acontecerá?

Esboço de pregação do Salmo 2:9-10

Tu os quebrarás com uma barra de ferro; tu os despedaçarás, como um vaso de oleiro.por isso, ó reis sejam prudentes; aceitem a advertência, as autoridades da terra. (Salmo 2:9-10)

Vocês, governantes, magistrados, senadores, governadores da terra, sejam sábios, sejam instruídos.

Esboço de pregação do Salmo 2:11

Sirva ao SENHOR com medo, e regozija-se com tremor. (Salmo 2:11)

Se você for sábio, obedecerá ao rei superior; você renderá obediência ao grande Senhor de todos.

Esboço de pregação do Salmo 2:12

Beijem o Filho, para que ele não se ire e vocês não sejam destruídos de repente, pois num instante acende-se a sua ira. Como são felizes todos os que nele se refugiam. (Salmo 2:12)

Os reis e governantes são convidados a fazer isso; que cada um de nós faça o mesmo, dê um beijo de homenagem àquele a quem Deus fez para ser nosso Rei, e leve-o para ser nosso Senhor e Governante para todo o sempre.
É assim; aqueles de nós que tentaram isso podem testemunhar que é assim, não há vida como uma vida de confiança em Deus. A abordagem mais próxima do céu que podemos viver neste corpo mortal é uma vida de simples confiança no Senhor Jesus Cristo.

Fonte e autor: Salmo 2 traduzido e adaptado de The Treasury of David (O Tesouro de Davi), por C. H. Spurgeon.

Veja também:
Close